domingo, 29 de setembro de 2013

Filhos, ter ou não ter


Quando eu era criança, ser mãe no futuro era um pensamento natural. Sou menina então vou ser mãe um dia, era assim que eu pensava. Até escolhia nome para os filhos que viria a ter: Ana Carolina, Amanda, etc. E gostava muito de brincar com o a minha boneca que era um bebé e que ainda hoje a tenho.

Depois veio a adolescência e com ela os complexos e inseguranças. Nunca namorei, mas a vontade e a certeza de que seria mãe continuava muito presente. Eu tinha certeza que um dia aconteceria, eu encontraria o homem perfeito e com ele teria os nossos filhos.

Quando chegou a idade adulta isso mudou, continuava cheia de complexos e inseguranças e sem namorado à vista. Foi aí que eu comecei a "cair na real" e compreendi que o facto de ter nascido menina não faria de mim mãe com certeza. Eu via pelas minhas irmãs que são 10 anos mais velhas do que eu e das três, apenas uma teve uma filha.

Mas enfim, eu casei, o homem perfeito apareceu e foi aí que eu percebi que ter filhos não é uma questão de ter apenas um parceiro. Claro que para muita gente por esse mundo afora ter filho e a coisa mais natural do mundo, vão tendo e vão jogando na vida. Mas para mim não é bem assim. É mais complexo.

Eu precisava de alguém que me desse força e que estivesse do meu lado, aqui neste país só tenho o meu  marido que tem tantas dúvidas quanto eu. Não posso trazer uma criança para este mundo se eu passo treze horas do meu tempo fora de casa, quem iria educar esta criança? Eu? Não! Não poderia molda-la aos meus costumes.

O que é certo é que o tempo esta se esgotando para mim, e o tempo é cruel, não tem pena de ninguém. Mas eu ainda não consigo decidir, ultimamente tenho pensado muito nisto e não tenho conseguido tomar uma decisão. As vezes penso que deveria engravidar e depois ver no que vai dar, como fazem grande parte das mulheres, mas falta coragem. Eu também tenho muita vontade de adotar uma criança, dar esperança e oportunidade para uma criança que não teve sorte de nascer em uma lar equilibrado. 

De uma coisa tenho certeza, se eu continuar assim, o tempo vai me castigar com  solidão e sei que vou me arrepender de não ter tido coragem para tomar a decisão ter pelo menos um filho. Mas eu ainda não consigo decidir.

sábado, 28 de setembro de 2013

A minha infância

Nós somos uma combinação das experiências do passado com os nossos desejos para o futuro. Trazemos marcado no nosso coração todas as desilusões, mágoas, saudades e momentos felizes do passado, há quem saiba só lembrar das coisas boas e apagar as coisas más, mas estas últimas também fazem parte do que somos agora e do que queremos para o futuro.

Porque isto tudo agora? Porque estou pensando nisto agora? Porque um dia desses atrás, eu lembrei que não tive uma infância feliz como eu pensava que sim. Eu pensava que sim porque não sou pessoa de me fazer de vítima. Mas foi duro sim. Talvez se comparada com a infância de outras pessoas, não foi nada. Mas as infâncias não deveriam ser todas felizes? As crianças não deveriam ser criadas por pessoas equilibradas em lares seguros? Infelizmente nem sempre é assim.

O meu drama nem foi muito grave, mas foi meu e me marcou, e ditou o meu futuro de fracassos. Me tornei insegura, fria e feia. Agora o que fazer de mim depois de tanto tempo perdido, escondida dentro de mim mesma? Eu nunca soube o que quis e continuo sem saber, as vezes quero fazer muitas coisas e como são muitas, acabo por não fazer nenhuma e continuo de braços baixos vendo o tempo passar à espera da morte chegar.

No fundo eu espero me conseguir me encontrar e conseguir definir o que quero mesmo para a minha vida.



quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Como eu me sinto?

Me sinto mais feliz sem dúvida, depois de conseguir perder 12kg, ainda estou naquela fase de não acreditar que isto está de facto acontecendo comigo. Muitas vezes visto uma peça de roupa que gostava tanto e que agora está grande e fico a pensar: "como eu era gorda!" E ainda estou muito gorda.

Como eu consegui viver carregando 12kg a mais? Não era atoa que me sentia cansada e não conseguia fazer muitas coisas que agora faço e nem sinto: ir à pé para o trabalho, subir escadas, correr para não perder o barco, etc. E pensar que ainda posso fazer mais! É só perder os restantes 12kg que ainda continuam comigo, e se cheguei até aqui posso ir mais longe.

É possível, aconteceu comigo que já andava descrente de tudo, pode acontecer com você, bastar conseguir passar o primeiro grande muro, os outros são mais baixos.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

O que fazer antes de vir a menstruação

Acontece com muita gente sentir uma vontade descontrolada em comer, incluindo doces, uns poucos dias antes de vir a menstruação. Isto acontece por causa de uma alteração hormonal que também mexe com o emocional, ficamos mais sensíveis a tudo, ficamos inchadas por causa da retenção de líquidos, com dores de cabeça, irritadas, etc...

Então vamos aqui ver o que fazer para nos prepararmos para a chegada destes dias. Três dias antes consuma três quadradinhos de chocolate preto por dia, é menos calórico e mais saudável que muitos doces e vai atuar como calmante nesta fase. Quando a menstruação chegar, essa necessidade de consumir doces vai vir com menos força.

Depois, retirar o chocolate da dieta e seguir com ela normalmente.


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Recompensa e castigo

A semana que passou correu bem, só deslizei uma vez e já acumulei 14€ na minha caixinha da recompensa e a caixinha dos castigo está vazia!

Fechei ontem a semana e com chave de ouro porque não senti ataques de ansiedade nenhuma vez. Um dia comi gelado, mas era baixo em calorias, logo não me fez tão mal.

Espero que este semana que começa corra tão bem quanto a passada e que eu consiga ir ao ginásio todos os dias.

GINÁSIO:
Segunda-feira: RPM + BODY COMBAT (19:30/20:20-20:30/21)
Terça-feira: RPM (19:45/20:15)
Quarta-feira: TRX + iCORE (19:45/20:15-20:30/21)
Quinta-feira: SH'BAM (19:30/20:20)
Sexta-feira: treino PT
Sábado: SH'BAM + BODY COMBAT (11/11:30-11:35/12:25)
(Anotado aqui no blog, fica mais fácil para o meu controle)

FOLHA DE CAIXA


sábado, 14 de setembro de 2013

Mudando de assunto... livro de cabeceira: O Caderno de Maya

Terminei de ler o último romance escrito de Isabel Allende (acho que foi o último que ela publicou) intitulado “O caderno de Maya”. Logo no lançamento deste livro, fiquei um pouco reticente e não o comprei, comecei a ler outro livro desta autora (o primeiro que lia dela) e gostei muito da narrativa dela, foi assim que meses mais tarde decidi ler “O caderno de Maya”.

A minha primeira impressão era de que seria um livro cheio das aventurinhas que os adolescentes normalmente vivem, mas não, este é barra pesada. Maya que na altura em que escreve no seu caderno tem 19 anos já viveu muito mais intensamente do que eu, por exemplo. Exilada em uma ilha no Chile o livro é uma narrativa na primeira pessoa que se passa em dois tempos: um no presente, na ilha, e outro no passado próximo, na América.

Maya é criada pelos avós paternos: uma refugiada da ditadura do Chile e um astrónomo americano negro. Após a morte do avô, Maya cai em um turbilhão de desgraças porque não consegue superar a perda e assim vê-se envolvida com drogas, bebidas, golpes, prostituição e vê-se perseguida por bandidos e o FBI, daí culmina o seu exílio no Chile onde vive novas experiências.

Eu gostei muito do livro, eu adoro narrativas na primeira pessoa e os detalhes com que a escritora escreve é fantástico, faz-nos sentir a cena, parece que estamos no local. Depois de ler este livro parece que eu já conheço a pequena ilha de Chiloé e Las Vegas, a sensação que tenho é que já estive lá. Conhecemos os pormenores da vida na rua, dos toxicodependentes e até mesmo sentimos na pele o sofrimento das pessoas que foram torturadas pela ditadura de Pinochet.

É um livro forte que toca em assuntos muito fortes como as drogas, a violência e a até a ditadura militar. Faz-nos refletir sobre a vida, sobre o quão é importante cada decisão que tomamos, sobre as escolhas erradas que fazemos que podem nos marcar para o resto da vida. Muito bom, eu recomendo.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Tornar a despensa em uma grande aliada

Se está fazendo uma dieta e pensa que manter biscoitos ou chocolates na sua despensa vai lhe ajudar, está enganada. Ter alimentos calóricos por perto é uma grande tentação, um teste de resistência em que só sobrevivem poucos.

Há muito tempo que "limpei" a despensa de casa, pois estava a acabar com todo meu esforço, eu não conseguia resistir. Todas as noites, quando sentia que faltava alguma coisa, ia ver a despensa e aí estragava todo o trabalho que tinha tido durante o dia... até que acabei com a brincadeira!

Para isso tive que ter apoio do meu marido, porque se vivemos com outras pessoas "emagrecer" a despensa pode se tornar mais difícil, mas em uma casa quando uma pessoa está de dieta o resto das pessoas têm que ajudar e compreender, e foi assim que o meu marido ficou privado de bolachas, chocolates e afins. Ele sabe que é para o meu bem..

Desta forma, saíram da minha despensa: biscoitos recheados, leite condensado, chocolates, bolachas, gelados (sorvete), iogurtes infantis (daqueles tipo danoninho que eu adoro), pacotes de fritos, uvas, refrigerantes, bolos e doces.

E entraram: gelatinas, iogurtes magros, fiambre de aves (presunto), queijos magros, kiwi, laranja, pêssego, peixe, carne branca, muitos legumes congelados para saltear e muita alface.

E a despensa de vocês, já está de dieta?

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Porque é que as pessoas magras não são gordas?

Andando por aí pelo youtube, coisa que mais gosto de fazer, dei de caras com este documentário super interessante sobre o porque de algumas pessoas magras não engordarem, sabem aquela expressão "magra de ruim"? Pois é, não são magras de ruim... devem esta benção ao seu corpo.

A mim o que mais me impressionou foi o facto de que os cientistas dizerem que quando engordamos, as nossas células adiposas (células que acumulam gordura) aumentam de tamanho e quando já não podem mais crescer, reproduzem-se e nunca mais diminuem em quantidade, por mais dietas que um indivíduo faça. O que quer dizer que um ex-obeso pode a qualquer momento voltar a engordar, está marcado para a vida toda. Muitas vezes isso se define na infância, uma criança obesa vai ser um adulto obeso e se emagrecer nunca vai deixar de ser um "obeso".

Por isso que sei que se atingir o meu peso ideal, eu vou ser sempre obesa e vou ter que sempre vigilante a tudo o que como, ao contrário de pessoas naturalmente magras que comem tudo o que querem e não engordam.

Assistam, vale mesmo à pena.





terça-feira, 10 de setembro de 2013

Compra e venda de roupa usada

Como o meu corpo esta em mudança (para a melhor) tenho perdido algumas peças de roupa e muitas estão em bom estado. Tenho tido necessidade de ter roupas com tamanho menor para ir trabalhar, mas como ainda estou em processo de emagrecimento estas também serão perdidas um dia, daí não valer à pena gastar dinheiro com roupa nova.

Ando a pesquisar lojas que vendam roupas usadas, mas não tem sido fácil, parece que nesse meio reina a publicidade do boca à boca, de qualquer forma, sábado que vem, vou dar umas voltas em Lisboa com uns endereços que encontrei na internet e vou ver se vale à pena.

Enquanto isso vou fotografar as minhas e tentar vender ou trocar, se alguém estiver interessado é só contactar. E se alguém souber de um lugar bom que venda roupa usada, me avise.

A calça abaixo é uma das peças que quero me desfazer: é uma calça da H&M, tamanho 46 de cetim, que nunca usei. Isto porque quando comprei estavam um pouco apertadas e nunca mais voltei a experimentar, agora estão grandes.





segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Passeio fotográfico: Parque das Nações

No sábado á noite fui dar uma voltinha rápida em Lisboa, para fotografar o Parque das Nações e estudar a fotografia noturna. Eu gostei muito do resultado a pesar de que o frio e o vento terem sido um desafio.

Só tive a péssima ideia de jantar no Burger King, mas logo percebi que esse tipo de alimentação já não é bem vinda ao meu estômago, fiquei mal disposta.




domingo, 8 de setembro de 2013

Saldo das caixinhas

Faz hoje oito dias que comecei com a brincadeira da recompensa e castigo, tenho gostado da brincadeira e cada vez que penso em fazer uma porcaria penso nas caixinhas, isto já evitou que eu metesse a pata na poça muitas vezes.

O saldo até não está mal e eu penso tentar comprar com o dinheiro que eu conseguir uma bolsa para o dia a dia, tenho que lutar para conseguir! No dia de hoje, mas só considerando até o dia 06/09,
já tenho 4€, quando poderia ter 12€ e o meu rimel da MAC corre o risco de ir parar a outras mãos. vou tentar recupera-lo na próxima semana e aumentar o saldo em euros.



sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Mudando de assunto...fim do veraneio

Setembro é o mês que marca o fim do veraneio, é o mês do começo do ano letivo aqui em Portugal e é o mês em que muita gente já gozou as férias.

Eu trabalho longe de casa, em Lisboa, que está separada da minha cidade pelo rio Tejo e assim me desloco de barco para o trabalho. Poderia ir de autocarro (ônibus) mas o fim da linha fica em um terminal do lado oposto ao meu local de trabalho ou de carro particular, mas sairia muito caro em termos de portagens e combustível, para além de que esta cidade é infernal para estacionamento.

Eu detesto trabalhar longe de casa e já há muito tempo que ando farta dessa rotina de apanhar o barco, já nem posso com a cara dos passageiros, sempre os mesmos… coitados não tem culpa do meu fastio.

Até a semana passada estava tudo bem, pouca gente, mais espaço e tal, bastou começar o mês de Setembro para jorrar pessoal no barco, os mesmos. E agora tem sempre alguém que vai sentado ao meu lado, acabou-se o espaço. Parece egoísmo, mas na verdade tudo me chateia justamente porque não gosto desta rotina, não gosto de trabalhar longe de casa e ainda por cima o meu coração vai partido porque deixo o meu cãozinho sozinho o dia inteiro, pois não há ninguém com quem eu possa contar para ir vê-lo durante o dia.

Mas alguma coisa dentro de mim, me faz acreditar que isso vai mudar e não deve faltar muito.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Eliminar um inimigo: Sal

Podemos temperar sem usar sal, basta utilizar ervas aromáticas. o Alecrim fica muito bem em assados; os coentros são bastantes perfumados e ficam muito bem em carnes ou na sopa; o cominho fica bem em praticamente todos os pratos; os oregãos ficam ótimos em legumes ou mesmo com alface; o tomilho fica muito bem com peixe. Ainda há uma vasta opção de ervas, tais como o caril, manjericão, pimenta, etc. Basta usar a imaginação e deixar o sal de lado.

Alimentos processados ricos em sal: a eliminar

  • Pão
  • Pipocas micro-ondas
  • Caldos em cubo
  • Batatas fritas e salgadinho afins
  • Pizzas
  • Refeições pré-preparadas



quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Já percorri metade do caminho

Estou agora com 81,600kg e quando comecei esta luta estava com 92,600kg, sem deixar de vos dizer que já tinha atingido em tempos 96kg. A minha primeira grande meta foi tentar perder 20kg, chegar ao 72kg que não é o meu peso ideal, mas já ficaria bem feliz se lá chegasse.

Quando comecei esta luta, este projecto, este sonho eu não acreditava que fosse conseguir, achava, sinceramente, que seria mais uma tentativa das tantas outras que tive e que sempre acabaram em derrota. 

Durante este processo passei por muitos altos e baixos e contei com a ajuda de muita gente que por aqui passou, cada comentário serviu para me dar forças. Não posso também deixar de dizer que a ajuda da personal trainer, a Filipa, e os outros instrutores lá da academia, a Ana e o Ricardo, também foi fundamental, foram os primeiros profissionais desta área que acreditaram em mim, eu senti isso, quando eu própria ainda não acreditava.

Por isso, você que está a tentar e está achando que é difícil ou impossível, tenha calma e procure ajuda. Só consegue sozinho que tem muita determinação, esta é uma falha que tenho, por isso foi fundamental procurar ajuda.

Metade já foi!

O que fazer para comemorar?




terça-feira, 3 de setembro de 2013

Comer pouco antes de ir para a cama

Não há nada como comer umas bolachas recheadas com chocolate, ou uma torrada cheia de manteiga, ou uma valente fatia de bolo, ou uma tablete de chocolate antes de ir para cama, é tão bom, certo? Mas na realidade estes miminhos são uns vilões para quem quer emagrecer.

Durante a noite o metabolismo começa a ficar lento o que faz com que o corpo queime mais devagar tudo o que for ingerido durante este período. Quem deita cedo ou simplesmente fica recostado no sofá não precisa mais do que um prato de sopa ou salada, este tipo de alimento leve até nos ajuda a ter uma boa noite de sono.

Costumamos ter uma sensação de fome quando estamos deitados a ver TV ou a ler antes de dormir, isto nada mais é do que vício, não é fome. Devemos fazer um exercício diário para controlar este vício, senão passamos o dia a fazer um esforço para perder peso e num pequeno instante estragamos todo este esforço! Um pedaço de pão consumido logo de manhã cedo não é a mesma coisa do que ser for consumido antes de dormir...

Devemos seguir estas três regras básicas para as nossas noites e final de tarde:

  1. Jantar cedo e consumir alimentos saciantes;
  2. Deixar de petiscar depois do jantar;
  3. Não consumir hidratos de carbono depois das 18h.
Os meus jantares têm sido a base de legumes salteados e carne branca, e tem dado resultado. Ainda não consegui me livrar do vício de comer qualquer coisa antes de jantar, mas quando a "fome" aperta como  uma gelatina ou um iogurte magro.

E a as noites de vocês? Têm feito muito bobagem?



(Do livro: "As regras de ouro da nutricionista Ágata Roquette")

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Recompensa e castigo

Para tornar o meu processo de emagrecimento mais divertido tive uma ideia para premiar o meu esforço ou castigar os meus deslizes. Fiquei entusiasmada com a ideia e quero partilhar com vocês, quem sabe também não se juntam a mim?

Vou criar duas caixinhas, uma se chama recompensa e a outra se chama castigo e são movimentadas diariamente da seguinte forma: 


  • CAIXA DA RECOMPENSA: de cada vez que um dia correr bem, vai para dentro da caixa um
    vale de 2€ e sai uma coisa de dentro da caixa do castigo.

  • CAIXA DO CASTIGO: de cada vez que um dia correr mal, vai para dentro desta caixa alguma coisa que gosto muito, por exemplo: um rimel, uma pulseira, um colar, etc. e sai da caixa da recompensa um vale.
  • SALDO MENSAL: no final de cada mês compro alguma coisa para mim com o que tiver dentro da caixa da recompensa e o que tiver dentro da caixa do castigo tenho que doar. 
A brincadeira já começou ontem e já posso adiantar que a caixa do castigo está vazia!

O que acham da ideia? Estão comigo?