domingo, 29 de setembro de 2013

Filhos, ter ou não ter


Quando eu era criança, ser mãe no futuro era um pensamento natural. Sou menina então vou ser mãe um dia, era assim que eu pensava. Até escolhia nome para os filhos que viria a ter: Ana Carolina, Amanda, etc. E gostava muito de brincar com o a minha boneca que era um bebé e que ainda hoje a tenho.

Depois veio a adolescência e com ela os complexos e inseguranças. Nunca namorei, mas a vontade e a certeza de que seria mãe continuava muito presente. Eu tinha certeza que um dia aconteceria, eu encontraria o homem perfeito e com ele teria os nossos filhos.

Quando chegou a idade adulta isso mudou, continuava cheia de complexos e inseguranças e sem namorado à vista. Foi aí que eu comecei a "cair na real" e compreendi que o facto de ter nascido menina não faria de mim mãe com certeza. Eu via pelas minhas irmãs que são 10 anos mais velhas do que eu e das três, apenas uma teve uma filha.

Mas enfim, eu casei, o homem perfeito apareceu e foi aí que eu percebi que ter filhos não é uma questão de ter apenas um parceiro. Claro que para muita gente por esse mundo afora ter filho e a coisa mais natural do mundo, vão tendo e vão jogando na vida. Mas para mim não é bem assim. É mais complexo.

Eu precisava de alguém que me desse força e que estivesse do meu lado, aqui neste país só tenho o meu  marido que tem tantas dúvidas quanto eu. Não posso trazer uma criança para este mundo se eu passo treze horas do meu tempo fora de casa, quem iria educar esta criança? Eu? Não! Não poderia molda-la aos meus costumes.

O que é certo é que o tempo esta se esgotando para mim, e o tempo é cruel, não tem pena de ninguém. Mas eu ainda não consigo decidir, ultimamente tenho pensado muito nisto e não tenho conseguido tomar uma decisão. As vezes penso que deveria engravidar e depois ver no que vai dar, como fazem grande parte das mulheres, mas falta coragem. Eu também tenho muita vontade de adotar uma criança, dar esperança e oportunidade para uma criança que não teve sorte de nascer em uma lar equilibrado. 

De uma coisa tenho certeza, se eu continuar assim, o tempo vai me castigar com  solidão e sei que vou me arrepender de não ter tido coragem para tomar a decisão ter pelo menos um filho. Mas eu ainda não consigo decidir.

4 comentários:

  1. Olá!
    tudo bem?!
    vim aqui conhecer seu blog,e gostei muito!
    ja estou seguindo viu.. e sobre o post eu estou nessa fase de querer engravidar agora ou depois,já estou com 28 anos e quero ter pelo menos um filho antes dos 30.. Mas entreguei nas mãos de Deus e ele saberá o que é melhor para nóis! Grande beijo e aguardo sua visita...

    ResponderEliminar
  2. Eu já entreguei nas mãos de Deus, mas estou ficando impaciente, mesmo sabendo que tudo vem na hora certa.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Oi Drika,
    meu maior sonho do mundo é ser mãe.
    Mas estou vendo o tempo passar e isso nao acontece..
    Da mesma forma que nao aconteceu encontrar alguem..
    Ja até cogito fertilizaçãp in vitro..
    Mas antes dos 40 realizo o meu sonho.

    Bjos

    ResponderEliminar
  4. Oi tudo bem bom eu já tive uma vai fazer 19 anos é agora me casei de novo é meu marido não tem filhos mais eu não quero mais filhos. Deixei isso bem claro para ele mais ele se faz de desentendido. Mais eu não quero afinal já tenho 40 anos é já sei o que é ser mãe é definitivamente não é para mim bjos.

    ResponderEliminar