terça-feira, 3 de maio de 2016

Desafio 30 dias - Dia 14


Segunda-feira estive a refletir sobre as situações desagradáveis pelas quais pessoas obesas passam. Relembrar algumas situações me fizeram manter a força para continuar lutando contra a obesidade.

Por vezes somos rodeados por pessoas que não querem o nosso bem, pessoas invejosas que ao invés de nos dar força, nos colocam ainda mais para baixo. Claro que há as pessoas luz que nos puxam para cima, mas hoje quero falar sobre os infelizes que não querem que sejamos felizes.

Muitas vezes nós mesmos somos essas pessoas para nós… estive a analisar o meu comportamento quando estou próximo de pessoas que conheço há pouco tempo e notei que eu mesma me rebaixo com comentários maus sobre mim: “olha a gorda”, “estou sempre com fome”, etc… É na verdade um comportamento de defesa. Mas isto tem que acabar, para ir busca de respeito temos que deixar bem claro para todo mundo que nós nos amamos e nos respeitamos e não vamos aceitar ser rebaixados por ninguém. E a melhor resposta que podemos dar a eles é mostrar que somos capazes de superar este problema e dizer não a tudo aquilo que nos engorda.

Sinto vergonha de partilhar um prato no restaurante com outra pessoa, porque a partida a outra pessoa vai prescindir de comer a metade que lhe pertence porque “sabe” que eu como mais. Ano passado, eu e os colegas do trabalho juntamente com os patrões, tínhamos que ir a um velório juntos, decidiu-se ir no carro de um deles, me empurraram para o lugar da frente por ser a mais gorda, eu ia ocupar mais lugar se fosse atrás. Nunca mais me esqueci desta situação e dela que também vem a força para continuar. Todo mundo vai engolir tudo de mal de pensa sobre mim só por eu ser gorda.

A partir de hoje essa palavra deixa de servir como adjetivo para mim.

2 comentários:

  1. É complicado e as vezes os nossos amigos nem fazem por mal, eu sinto isso na pele mas as vezes acho que inconscientemente faço isso com amigas mais gordinhas. Tenho uma amiga que come mais do que eu e automaticamente quando ela vai comer à minha casa, faço uma porção maior do que aquela que faço para mim e agora que falaste isso, nem sei se inconscientemente não ando a magoar os sentimentos dela assim. Em ambas as situações que falaste, não me parece que tenham feito por mal, mas é compreensível teres ficado magoada ou sentida.
    Acho que é um bom objectivo, deixares de te adjectivar como "gorda" e não deixares que os outros também o façam, pensar em nós com mais carinho e mais amor...

    ResponderEliminar
  2. É verdade, tem pessoas que fazem isso sem maldade e sem pensar... por exemplo, eu como muito mesmo e não consigo me controlar, ajudaria se alguém impedisse essa minha gula. Tenho amigas que de maneira nenhuma me oferecem o maior pedaço ou algo que me possa engordar por saberem que eu preciso é de ajuda e não de comida.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar