sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Ansiedade

Quando alguém me dizia que sofria de ansiedade, daquele grau que necessita de medicação, eu achava que era fraqueza da pessoa, que este tipo de doença não existe.

 Com o passar dos anos venho me conhecendo melhor e ultimamente descobri que eu sofro de ansiedade e sempre sofri, quando preciso saber de alguma coisa tem que ser no imediato; quando preciso falar sobre algo importante com alguém, também tem que ser no imediato; se alguém disser “preciso falar contigo”, tem falar imediatamente, eu não suporto a espera.

Só tenho notado isso mais acentuado no mundo do trabalho, no dia a dia das tarefas que tenho para fazer, noto o meu nervosismo proveniente da ansiedade. Mas neste mês de dezembro, justamente quando completo 40 anos a coisa tornou-se física de uma maneira que não dá para ignorar. É uma… não sei descrever… dor? Emoção? Nervosismo? Não sei dizer, mas “algo” que sinto constantemente no peito. Outro dia subiu para a garganta e enquanto chorava passou. Eu sei que preciso de um remédio para poder controlar essa coisa, mas eu não quero viver a base de ansiolíticos.

Uma primeira medida que tomarei será aprender a meditar, acredito que há um grande poder nisto e certamente vai me curar desta doença, sim agora acredito que ela existe mesmo. Outra medida seria mudar de emprego, mas ainda vou esperar um pouco até ver o que acontece em 2017, aconteceram muitas coisas aqui em 2016, que contribuíram para o aparecimento da minha doença, pode ser que com os acontecimentos de 2017 ela desapareça.

Quando ao meu maior desejo (emagrecer)? Bem com esta doença já deu para perceber que está muito complicado, já aumentei 10kg e continuo meio perdida. Mas nesta altura do ano não dá para andar a fazer planos imediatos e acabamos por cair no velho cliché: “no novo ano que começa eu vou começar o projecto emagrecer”.

Sem comentários:

Enviar um comentário