quinta-feira, 27 de julho de 2017

O poder do agora para curar a ansiedade


Eu sempre fui ansiosa, mas não era uma questão patológica, era uma ansiedade normal, daquelas do tipo: não conseguia esperar para saber sobre o resultado de alguma acção minha, ou sobre alguma conversa que teria que ter com alguém, etc…

A medida que fui ficando mais velha esta ansiedade foi se agravando e há um ano ficou em um estágio bastante alto, eu já sentia dores no peito, alguma dificuldade em respirar, vontade de chorar e havia dias que sentia a minha garganta apertada. Eu nem queria acreditar, pois achava que este tipo de doença era só para gente fraca e sem muita ocupação, puro preconceito!

De uma maneira casual encontrei no Youtube uns vídeos de um escritor e conferencista alemão chamado Eckhart Tolle e ele falava sobre o poder do agora, o poder de nos mantermos no momento presente e esvaziarmos a nossa mente de pensamentos, grande parte deles inúteis. Para compreender melhor esta teoria eu resolvi comprar o livro e já li a metade, o que já foi o bastante para eu regressar ao meu estado natural, sem a ansiedade como patologia.

Segundo o autor do livro os nossos pensamentos actuam de forma muito significativa na nossa vida influenciado os nossos sentimentos, e muitas vezes causa ansiedade, depressão e tristeza. Ele nos mostra que o passado já foi, não podemos fazer a respeito disto: se foi mal, tiramos lições sobre como agir da próxima vez que acontecer; se foi bom, melhor ainda, mas não quer dizer que devemos ficar presos nestas lembranças, foi bom enquanto durou.

Quanto a mim, por exemplo, eu fiquei durante muito tempo presa à saudade que sinto de uma pessoa que teve um grande impacto na minha vida, que me ajudou a emagrecer. Quando eu emagreci eu vivi momentos na minha vida nunca antes vividos e só quem já foi gordo e conseguiu emagrecer sabe bem do que falo: sentar de maneira mais confortável em bancos e cadeiras em locais públicos; vestir qualquer peça de roupa e se sentir bem; entrar em qualquer loja sem me sentir envergonhada; acompanhar os amigos numa grande caminhada sem ficar para trás; poder usar saltos altos e me sentir confortável; ir à praia sem me sentir envergonhada… Isto tudo e muitas outras sensações boas perdi quando voltei a engordar. E voltei e engordar porque fiquei pressa nesta saudade, neste passado, de modo que ninguém mais conseguiu me ajudar da maneira como esta pessoa me ajudou. Estar presa a esta lembrança não abriu mais hipótese para que eu conseguisse continuar com a minha vida numa boa.

Quanto ao futuro, é simples também, ainda não aconteceu e não sabemos como será, por isso não devemos pensar tanto nisso. Apenas pensamos no futuro de maneira prática: fazer planos para conseguir determinado emprego, prepararmos uma reunião que eventualmente iremos ter, preparar a nossa agenda para a semana, enfim, actividades práticas, nada do tipo: Meu Deus, o que será que o cliente vai perguntar? Eu saberei responder? Será que me vai pedir para fazer alguma coisa que não sei fazer? Esses pensamentos nos consomem muito e foram esses tipos de pensamentos que eu tinha no dia-a-dia que fizeram com que a minha ansiedade agravasse.

Não há nada como desfrutar do momento presente, pois quando estamos presos ao passado ou ao futuro, temos a sensação de que o tempo passa e nós não vivemos nada, temos sempre aquela sensação de que não há tempo para nada! Pois não há, não estamos a desfrutar o agora e tudo que ele oferece. Temos que usar o agora para poder ter um futuro mais tranquilo e aproveitar todo o tempo do mundo. Esta foi uma das primeiras lições que tive quando li o livro, ainda não estou a 100% livre dos meus pensamentos tóxicos, mas já melhorei bastante. Quando estes pensamentos vem na minha cabeça, trato de os afastar e passo a não pensar em nada, apenas presto mais atenção à minha respiração. Eu recomendo esta leitura para todas as pessoas, mesmo aquelas que não sofrem de ansiedade ou depressão.

Boa leitura!

Sem comentários:

Enviar um comentário